terça-feira, 23 de janeiro de 2018

E De Repente Tenho Uma Demonstração Da Bimby!

Ai malta... a mim metem-me em cada uma. É de conhecimento público que eu não sou a maior cozinheira cá da minha aldeia e que todas as ajudas são bem-vindas mas daí a decidir investir numa Bimby...? Neste momento, não faz sentido para mim (ou para nós, melhor falando). Maaaas a minha irmã vai de ignorar tudo isto e vai de dar o meu contacto para receber uma demonstração da Bimby em casa.


Tradução, amanhã tenho cá em casa a dita demonstração deste pequeno eletrodoméstico que dizem ser para lá de uma pequena maravilha! E eu morro de medo de ficar extretamente apaixonada ao ponto de a querer muito. Mas eu tenho para mim um mantra: o que poder evitar de comprar em prestações, evito e não é uma Bimby [acho eu] que me vai fazer dar volta a esta ideia...

Malta que tem Bimby, que tal, vale a pena o investimento? 
Faz mesmo, mesmo sentido e faz mesmo, mesmo maravilhas?

domingo, 21 de janeiro de 2018

Cinco Coisas Que Me Custaram A Habituar Quando Saí De Casa

Toda a gente sonha um dia sair de casa, encontrar o seu lar, fazer dele o seu ninho, o seu porto de abrigo; uns conseguem mais cedo que outros, mas todos nós arranjamos planos e sonhos para quando chegar esse dia. A minha vez chegou de forma não muito planeada e quando dei por mim estava "estoirar" todo o meu dinheiro em coisas essenciais a uma casa e ao seu funcionamento.

O ato de sair de casa não se traduz em apenas ganhar independência ou um lugar só nosso mas uma outra série de coisas. Em relação a mim decidi partilhar convosco aquilo que mais me custou a habituar quando dei por mim com uma casa para ser "eu" a "conduzir".


1 - Contas, contas e mais contas: definitivamente isto foi o que mais me custou, receber cartinhas [ou email's] mês após mês com valores, todos juntos, que davam - a meu ver - um absurdo! ("A sério que a luz custa assim tanto?", "A sério que já nao há gás? E é este o valor?!, etc, etc). Isto porque eu nunca tinha pago nenhuma conta em casa dos meus pais então andava meia a leste de como dói!

2 - Temos que ir às compras...: não me aborrece nada ir às compras, mas aborrece-me chegar ao frigorifico ou ao armário e constatar que falta algo. Não gosto de chegar ao ponto que falta mas muitas vezes não controlo e acaba mesmo por faltar e isso irrita-me ("Quando é que eu bebi tanto leite?!", "Como assim já não há iogurtes?!).

3 - Ainda aspirei à dois dias e olha para o chão: confesso que quem aspira cá em casa é o meu namorado, portanto isto é uma frase dele e é bem real. Como raio é possível já estar tudo cheio de pó e cenas no ar, e manchas e isso tudo?! Do que me lembro na casa dos meus pais o chão não estava sempre assim [ou definitivamente a minha mãe merece muito mais respeito pelo que sempre fez em casa!]. 

4 - O que fazemos para o almoço?: possa... a sério que não desgosto de cozinhar, apesar de não ser nenhuma master mas tem vezes que não me apetece naaaada e quase sempre nessas vezes não lhe apetece a ele também mas também não tenho nem a minha mãe cá nem a mãe dele portanto sobra mesmo para nós o ato de nos alimentarmos!

5 - Desde quando o monte de roupa por passar já tem metro e meio de altura?: outra coisa que também não desgosto de fazer é passar a ferro mas lá está, nem sempre me apetece e quando olho, o monte da roupa já quase ultrapassa a minha altura e isso irrita-me. Tal como me irrita que ele se deixe ficar até à última sem meias para olhar finalmente nos olhos da pequena montanha que existe lá em casa. 

E quando percebi que, por mais estratégias e planos para dar volta à situação, estas questões que referi continuavam a acontecer, limitei-me a aceitar que todas elas fazem parte da rotina de se ter uma casa. Acontece em qualquer lar, acontece aos melhores até.

E vocês que já saíram de casa, qual foi a maior dificuldade que tiveram? 
E os que ainda não saíram, o que mais temem?

sábado, 20 de janeiro de 2018

14# Só se estraga uma casa

Cá em casa a maioria das vezes andamos em discordia ou porque eu cozinho mais vezes que ele ou porque ele aspira mais vezes que eu e etc, etc. Mas para falar em absoluta verdade, acho que neste momento até encontrámos um equilibrio e dividimos bem as tarefas [se garagens, motas e carros entrarem]. 
Mas há uma coisa que é certa e não há cádivisões...


Fotografia com muita surra de fofurice só para vocês! Encontrei este quadro a 10€ na Primark e logo soube que podia fazer coisas muito giras com ele cá em casa. Agora está ali pendurado no corredor, com esta frase tão verdadeira (cof, cof), à espera de nova inspiraçao [vem com 232 letras]. 

Ps: E aquele doce ali enroladinho ao lado? 💚

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

E Quem Quer Trocar De Folgas?

Sexta-feira malta, com um lindo dia de sol lá fora! De onde vos escrevo ouço os carros a passar mas também vejo um denso pasto verde onde normalmente existem vacas a pastar. Maravilhoso o contraste, certo? Ai como é boa a sensação de ser sexta-feira!


... #sóquenão. Hoje é como se fosse segunda-feira para mim porque vou trabalhar o fim-de-semana todo e o meu namorado também, logo não vou ter direito a passeios junto ao mar, nem almoço num sitio especial, nem nada dessas coisas. Tenho saudades de folgar ao fim-de-semana SEMPRE. Na verdade, ponho-me a pensar em que momento da minha vida isso aconteceu... e tenho a ideia que NUNCA ahahah! Humanos... sempre insatisfeitos com tudo; mas serei só eu a pensar assim?!

Pessoal que folga sempre aos fins-de-semana [se houver alguém ainda que o faça], digam-me, gostam de ter os fins-de-semana como folga ou preferiam folgar de vez em quando durante a semana?

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

13# O que os famosos escrevem nas redes sociais



Malta... há quanto tempo não trazia eu esta rubrica?! Há imeeeeenso tempo e com tanto babadão aí a decorrer, como pude deixar tanta coisa ao lado? Então a estreia do ano de 2018 sobre "O que os famosos escrevem nas redes sociais" recai sobre Bruno Nogueira, que não foi bem numa rede social que soltou a língua mas é como se fosse. 

O novo programa da SIC, "SuperNanny"está nas bocas do país inteiro, não há como negar e parece que toda a gente tem uma opinião a dar [menos eu, que preferi trazer-vos a opinião do humurista] e a verdade é que as opiniões dividem-se. Mas não para Bruno Nogueira que afirmou em palco o seguinte: 
"Quando todos achávamos que os programas de televisão já tinha descido ao grau abaixo de esgoto, eis que a SIC começou a emitir no domingo o programa "Supernanny" (...)".

E vocês, malta que assistiu ao programa, que dizem de vossa justiça? 
Uma vergonha, um sucesso ou um "Poupem-me que eu tenho mais que fazer!"?

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Metas Para 2018! - Ainda Vou A Tempo, Certo?

Hoje acordei a pensar em metas para 2018 e de como não tinha traçado nenhuma, pelo menos dita publicamente - pelo menos partilhada abertamente. 
Há uma, de conhecimento geral, que é emagrecer. Nunca pensei vir a ter stress's ao pensar em comida e evitar de comer o que gosto à hora que gosto mas chama-se a isso envelhecer e eu não estava mesmo a ver o panorama a acontecer por me sentir uma eterna miúda. Mas toca a todos, meus amigos, toca a todos.

Mas assim metas, metas... Não tracei nada em especifico. E foi isso mesmo que estive a pensar antes de escrever o post: vou traçar planos (pequeninos, fáceis e flexiveis) e metas para 2018!


Para 2018 eu gostava muito de:

- Reduzir o meu consumo de carne [nem que fosse ficar um dia durante a semana sem o fazer];
- Ganhar estabilidade profissional e novas aprendizagens;
- Voltar a ganhar o hábito de treinar pelo menos TRÊS vezes por semana;
- Apostar cada vez mais em sopas e receitas do bem;
- Ler mais livros do que li o ano passdo;
- Ter capacidade para desvalorizar o que não interessa e valorizar mais as coisas boas do dia-a-dia;
- Ir aos concertos que eu quero MESMO ir sem pensar nos gastos disso;


E acho que já está muito boa a lista porque eu nem consigo fazer um antibiótico até ao fim, quanto mais outras coisas... Mas querer é poder e devagar se vai ao longe! 
Por aí, alguém com uma meta igual à minha? 
Qual o vosso maior obrjetivo para este ano?

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

E A Vida Volta A Mudar... E?

Se alguém me dissesse que a minha vida iria mudar, exatamente na mesma altura que mudou em 2017, eu ia dizer que não estava à espera... mas já estando. Como já disse o que escrevo no blogue é 1% do que se passa na minha vida porque os outros 99% guardo para mim. O que tenho a adiantar é que me sinto numa boa fase. Desde que o Kazaar chegou à minha vida, sinto-me muito bem, porque antes sentia que havia um vazio que às vezes justificava com a falta de dinheiro, ou tempo, etc. Agora vejo que o vazio foi-se. E valorizo cada vez mais o poder que um animal tem sobre uma pessoa. E não só. À um ano a minha vida estava instável, tinha praticamente acabado de sair de cada, ainda a tentar e a aprender a gerir mil e uma coisas... Hoje é diferente.


A minha vida vai voltar a mudar? Vai sim. Faz-me pensar, até questionar? Faz sim... O mundo vai acabar? Absolutamente que não! A vida de cada um de nós está em constante mudança e muitas vezes de forma incontornável, o que não é a minha situação. Aproveitar cada momento bom; dar valor às pequenas coisas e ao que nos rodeia. O resto, virá. As soluções serão pensadas e postas em prática e a vida também ajudará - sim, porque a vida é boa. É sim! 

Boa segunda-feira para todos! :)